Planalto não admite falta de conclusão sobre atentado a Bolsonaro

 Na última sexta – feira (8) o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou  que não é possível admitir a falta de uma solução plausível para o atentado que o presidente Jair Bolsonaro sofreu durante a campanha eleitoral.

Na  quinta (7) peritos indicados pela Justiça Federal atestaram, em laudo, que Adélio Bispo de Oliveira, que tentou matar o presidente em setembro do ano passado, sofre de doença mental.

O documento pode levar Adélio a ser considerado inimputável perante a Justiça Criminal.

Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência, falou sobre o laudo:

“Não poderíamos admitir que um candidato à Presidência seja esfaqueado em meio à multidão e nós não tenhamos efetivamente uma solução que seja plausível. Não estou dizendo que não seja plausível algum aspecto de insanidade mental, mas é preciso aprofundar isso.”

Apesar disso, o porta-voz afirmou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, confia na Justiça e no trabalho desenvolvido pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal em relação às investigações.

Segundo o JC Online, Rêgo Barros acrescentou:

“Naturalmente ainda há divergências em relação a esses laudos segundo os quais vocês próprios já iluminaram à sociedade e essas divergências vão ser consolidadas e alinhadas para que a decisão final assim se faça e a justiça, principalmente, se faça presente.”

Leia Mais:

Bolsonaro para o carro para receber oração em frente ao Palácio da Alvorada

Planejando uma viagem? Saiba quais os direitos dos passageiros para não perder dinheiro

 

Deixe uma resposta