Barraco na ONU Jean conecta Bolsonaro ao assassinato de Marielle

Na ONU, Wyllys conecta Bolsonaro ao assassinato de Marielle

Nesta sexta-feira (15) em reunião nas Nações Unidas, a embaixadora do Brasil se recusou a ouvir o extremista de esquerda Jean Wylls.

O motivo da revolta da representante diplomática do governo Jair Bolsonaro com a presença do psolista na reunião da ONU ficou evidente.

Em um certo momento do seu discurso, Wyllys declarou:

“A minha presença aqui amedronta a senhora e o seu governo, que não tem compromisso com a democracia.”

E acrescentou:

“A imprensa revela ligações entre organizações criminosas, os assassinos de Marielle Franco e a família do presidente da República, que ocupa o Palácio do Planalto.”

O jornalista Jamil Chade publicou no Twitter os ataques de Wyllys contra o governo do Brasil:

Nesta quinta-feira (14) Sérgio Moro, desmentiu os rumores espalhados pela militância do Partido dos Trabalhadores (PT) sobre o envolvimento do círculo de Bolsonaro e o assassinato da psolista Marielle Franco.

Info: Renova Mídia

Leia Mais:

Ciro diz que Gleisi é “chefe de quadrilha” e ela rebate dizendo “coronel oportunista”

Planalto não admite falta de conclusão sobre atentado a Bolsonaro

Bolsonaro para o carro para receber oração em frente ao Palácio da Alvorada

 

Deixe uma resposta