Merendeira montou barricada com geladeira e freezer para salvar 50 crianças em Suzano

Silmara Cristina Silva de Moraes , de 54 anos, declarou ao G1 que ajudou a salvar cerca de 50 crianças durante o trágico ataque que aconteceu na manhã desta quarta-feira em uma escola em Suzano.

“Nós estávamos servindo merenda e aí começou os ‘pipoco’ e as crianças entraram em pânico. Abrimos a cozinha em começamos a colocar o maior número de crianças dentro e fechamos tudo e pedimos para eles deitarem no chão. Foi muito desesperador, porque foi muito tiro, muito tiro mesmo e era muito pânico”, contou, chorando.

Quando 50 crianças entraram na cozinha, Silmara relata que foi preciso trancar a porta “porque eles estavam próximos e a cozinha é rodeada de janela. A gente deitou no chão e nós não vimos nada com medo que atirassem. Mas graças a Deus nada aconteceu com quem não estava lá. Eu arrastei a geladeira e o freezer para fazer uma barricada e ficamos atrás. A mesa viramos e fizemos um escudo para proteger as crianças. Ficamos acuados em um canto só, se acontecesse alguma coisa ele ia pegar muita gente”.

O trágico ataque aconteceu na manhã desta quarta-feira. Dois jovens, um de 17 e um de 25, entraram em uma escola com armas de fogo e até um machado e dispararam contra alunos e funcionários. Informações ainda desencontradas dão conta que eles se mataram depois. Até agora, 10 mortes foram confirmadas, incluindo os atiradores e seis alunos.

O governador de São Paulo, João Doria, decretou luto oficial. O Ministério da Justiça já se pronunciou e colocou à disposição das autoridades estaduais e municipais.

Leia mais:

Estudante é suspensa por responder grupo LGBT usando versos bíblicos

 

Faustão causa revolta na internet após dizer qual música deveria tocar nas escolas, no lugar do hino nacional.

Jornalista do Estadão assume que motivação é arruinar governo Bolsonaro

Deixe uma resposta