Hospital Albert Einstein registra queixa-crime e processa o petista José de Abreu

Zé de Abreu acusou o Hospital Albert Einstein de tramar a facada em Bolsonaro

O hospital israelita, Albert Einstein, na última quinta-feira (10) decidiu processar o ator global José de Abreu e fazer uma queixa-crime.

No dia 1º de janeiro de 2019, o ator fez uma publicação em seu Twitter, acusando o Mossad (serviço secreto israelense) de ter tramado e executado um atentado falso contra Bolonaro, tudo isso com a cumplicidade do hospital.

Segundo o Estadão, o criminalista Carlos Kauffmann explica:

“A afirmação (de Abreu) atinge intencionalmente a reputação do hospital e, por isso, além da ação civil – a ser desenvolvida por Décio Milnitzky,– vamos ajuizar a queixa-crime para apurar a difamação.”

Décio Milnitzky irá requerer uma indenização no plano civil, esta, por sua vez, será destinada a uma obra de caridade.

“O hospital, que existe para salvar vidas, foi acusado de ser cúmplice em uma tentativa de homicídio. Isso é extremamente grave”, afirmou Milnitzky.

Para ele, o tuíte de Abreu pode ter gerado consequências drásticas, pois teve um alcance grande e chegou a receber 5.400 curtidas – antes de ser apagado dias depois.

Informações Estadão Conteúdo e  Diário Conservador

Leia Mais:

Carta de criança de para Bolsonaro viraliza nas redes sociais: Duvido você não sorrir

Moro:”Crime organizado não tem como vencer o Poder Público organizado”

Bíblia será traduzida em língua de sinais em 16 países

3 comentários sobre “Hospital Albert Einstein registra queixa-crime e processa o petista José de Abreu”

  1. Não tem que exigir indenização coisa nenhuma. Poem uma mascara nele com um retrato do Presidente e algema Ela com as mãos ás costas e solta Ele na cela do Adelio. O Adelioooo o “homem ta vivo”. dá um jeito nele. kkkkkkkk

Deixe uma resposta