DESESPERO GLOBALISTA CONTRA BOLSONARO

A Revista Época seguindo os ataques ao presidenciável Jair Messias Bolsonaro, publicou mais uma matéria tendenciosa sobre o caso que envolve o Litigio do candidato com sua ex-esposa a advogada Ana Cristina Valle.

A revista Veja vazou no ultimo dia 27 informações sigilosas sobre processo entre a ex-esposa e Bolsonaro, em ação litigiosa a advogada creditou o sumiço de seus pertences — 200 mil reais em espécie, 600 mil reais em joias e 30 mil dólares, em 26 de outubro de 2007 — a Bolsonaro. No entanto a mesma desmentiu os fatos e disse: “Brava, falo besteira”.

Agora para confirmar a matéria tendenciosa da Veja a Revista Época foi atras de um chaveiro de cofres  que prestou serviços a família na quela ocasião, segundo a matéria:

“O chaveiro Jalmir Araújo de Azevedo, especializado em cofres bancários, cumpria expediente em Maricá quando recebeu um telefonema. Deveria socorrer uma cliente na agência do Banco do Brasil da Rua Senador Dantas, no centro do Rio. A cliente, a advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, não conseguia abrir seu cofre com a chave de que dispunha. Quando Jalmir concluiu o serviço, a surpresa foi geral: o cofre estava vazio”. Diz a revista

— Quando viu que não tinha nada lá, a mulher do Bolsonaro disse que foi roubada e chamou todo mundo de ladrão. Ela endoideceu e começou a gritar que o Bolsonaro, mancomunado com o Banco do Brasil, foi lá e tirou tudo dela — diz Jalmir.

No entanto no final do texto diz:

Em seu depoimento à polícia, Ana Cristina não atribuiu o furto a Bolsonaro. A ex-mulher do deputado apenas narrou como descobriu que não havia mais nada no cofre e relatou que o banco lhe informou que não poderia se responsabilizar pelos seus bens.

 

Depois de tomar conhecimento de que seu cofre estava vazio, Ana Cristina registrou o caso na delegacia em outubro de 2007 e a Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o crime de furto. Ela voltou a ser intimada a depor dois anos depois, em março e maio de 2009, mas não compareceu à delegacia.

A polícia oficiou o Banco do Brasil três vezes, uma em 2009 e duas em 2015, solicitando toda a documentação referente ao cofre de Ana Cristina, mas a solicitação nunca foi atendida pela instituição financeira.

 

Os ataques coordenados a Bolsonaro fazem parte da tática de destruição de reputação atuamente existente no meio midiático. A imprensa é contrario a candidatura de bolsonaro por um simples motivo, uma das promessas do presidenciável é cortar consideravelmente o gasto  com publicidade federal, que é pago a emissoras de TV como a Rede Globo e Jornais e revistas como a Folha de S. Paulo, Veja etc…

Em 30 de junho de 2015, o jornalista Fernando Rodrigues assinou matéria no UOL com o seguinte título: ‘TV Globo recebeu R$ 6,2 bilhões de publicidade federal com PT no Planalto’.

O cálculo se baseou em dados oficiais fornecidos pela Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), após pedido baseado na Lei de Acesso à Informação.

Entendeu?

 

Deixe uma resposta